sexta-feira, 16 de abril de 2010

Os Gases-Estufa

  VAPOR D’ÁGUA: A quantidade de vapor d’água no ar depende mormente da temperatura. O ar quente pode reter mais umidade do que o ar frio. O vapor d’água absorve o calor mui eficazmente, mas por si só não pode dar origem ao efeito estufa. O vapor d’água serve principalmente para ampliar os efeitos dos outros gases.

  GÁS CARBÔNICO (CO2): É o mais prevalecente dos gases que retêm calor, e é vital para toda a vida na Terra, porque as plantas precisam dele para viver. A quantidade de gás carbônico contida na atmosfera está atualmente aumentando em meio por cento ao ano. Isso talvez não pareça muito, mas significa que cerca de uma tonelada de carbono para cada homem, mulher e criança do planeta é lançada na atmosfera, anualmente, proveniente da queima de combustíveis fósseis, tais como carvão e petróleo — 5.000.000.000 de toneladas de carbono por ano! Cerca da metade desse carbono é, com o tempo, utilizada pelas plantas ou é absorvida pelo oceano, mas o restante permanece no ar.

  METANO (CH4): Este é o principal componente do gás natural. Como o gás carbônico, ele contém carbono. Está aumentando duas vezes mais rápido que o gás carbônico na atmosfera, ou cerca de 1 por cento ao ano. Já existe duas vezes mais metano no ar do que havia na época pré-industrial. Os cientistas estão preocupados de que a crescente concentração de metano possa tornar mais difícil para a atmosfera decompor outros gases-estufa, tais como os abomináveis CFCs (clorofluorcarbonos).

  CFCs: Estas substâncias químicas de longa vida ajudam a destruir a camada de ozônio depois de ascenderem à estratosfera. Mas elas constituem poderosos gases-estufa enquanto se acham na baixa atmosfera. Com efeito, molécula por molécula, elas são cerca de dez mil vezes mais eficazes do que o gás carbônico, quando se trata de absorver os raios infravermelhos!

  ÓXIDO NITROSO (N2O): Quando seu dentista utilizava isto, ele talvez o chamasse de gás hilariante, mas seu efeito sobre a atmosfera não é motivo de riso. Trata-se dum subproduto da queima de combustíveis fósseis e é extremamente estável. Uma vez penetre na atmosfera, permanece lá por 150 anos, em média. Nesse tempo, absorve calor, quando está na camada mais baixa da atmosfera, chamada de troposfera, mas também pode subir para a estratosfera, onde ajuda a destruir o ozônio. A concentração está presentemente aumentando em 0,25 por cento ao ano.

  OZÔNIO (O3): Por último, mas não menos importante, vem o ozônio. Na estratosfera, o ozônio é benéfico, uma vez que absorve a perigosa radiação ultravioleta que pode provocar câncer na pele, se chegar a atingir a superfície da Terra. Mas na atmosfera inferior o ozônio é um perigo. O ozônio é um subproduto da combustão, especialmente de automóveis e de aviões a jato.

[Diagrama]

(Para o texto formatado, veja a publicação)

  O Efeito Estufa: A atmosfera terrestre, como o duma estufa, prende o calor do sol. A luz solar aquece a Terra, mas o calor gerado — transportado pela radiação infravermelha — não pode escapar facilmente da atmosfera, visto que os gases-estufa bloqueiam a radiação, e remetem parte dela de novo em direção à Terra, acrescentando assim calor à superfície da Terra.

Radiação que escapa

Radiação infravermelha retida

Gases-estufa

Um comentário:

greatek19 disse...

Vlw mano muito bom blog !!!
Ajudou bastante !